domingo, 19 de outubro de 2014

Cemitério indígena de mais de mil anos vira pista para motocross em SP

19/10/2014                   09:44

CAMILA TURTELLI

 RIBEIRÃO PRETO


Um rebanho bovino e até mesmo uma pista de motocross estão colocando em risco a preservação de um cemitério indígena de mais de mil anos em Olímpia (a 434 km de São Paulo). 

iretor cultural Caio Longhi mostra sítio arqueológico em Olímpia (SP); abandonado, local foi usado como pista de motocross e para o pasto

O sítio arqueológico Cemitério Maranata, que foi descoberto em 1993, atualmente está abandonado e, por isso, sua preservação está ameaçada, de acordo com o Ministério Público Federal de São José do Rio Preto. 

Em 1993, ao escavar o terreno para a construção de um conjunto de casas, foram encontradas ossadas humanas e fragmentos de cerâmica. De acordo com pesquisa publicada à época pelo MAE (Museu de Arqueologia e Etnologia), da USP, as peças têm características indígenas de antes da chegada dos portugueses ao Brasil, em 1500. 

Edson Silva/Folhapress



Algumas das cerâmicas encontradas no local em que seriam construídas as casas estão atualmente no Museu de História e Folclore Maria Olímpia. "Foram encontradas igaçabas, que são espécies de urnas funerárias indígenas que foram associadas a uma tribo tupi-guarani", afirmou o diretor cultural de Olímpia, Caio Longhi. 

Com a descoberta, a construção das casas foi suspensa e houve, de acordo com a Prefeitura de Olímpia, o início de um processo de preservação do local. No entanto, o Ministério Público Federal afirma que a área foi abandonada e deixada sem nenhum tipo de conservação. No ano passado, um inquérito foi aberto para apurar a situação do local. 



A Procuradoria encontrou no lugar uma pista de motocross e a criação de gado. "Tais atividades podem ter comprometido a sustentação dos registros arqueológicos, por se tratarem de atividades de impacto", afirmou a procuradora Anna Flávia Nóbrega Cavalcanti Ugatti. 

PASTO E PISTA

De acordo com laudo do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), pedido pela Procuradoria, o terreno foi bastante mexido para a construção da pista de motocross. Quando não está ocupada pelas motocicletas, a área é usada como pasto para a criação de gado. A Procuradoria enviou recomendação neste mês à Prefeitura de Olímpia, ao Iphan e ao proprietário da área para que ela seja preservada. Segundo Longhi, a prefeitura já colocou seguranças no local para impedir o uso da pista por motocicletas. 

MEDIDAS

A empresa que é proprietária do terreno, Oswaldo Faganello Engenharia Construções, afirmou que foi notificada e está avaliando quais medidas serão tomadas. O Iphan informou que ainda não havia sido notificado oficialmente sobre a recomendação da Procuradoria. 

Já o Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo) informou que foi aberto um processo administrativo para avaliar o caso. 

"Trata­-se de bem da União, que pode conter elementos valiosos para pesquisas e registros de valor arqueológico", disse a procuradora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário