segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

UFGD abre inscrições para 70 vagas em curso de licenciatura indígena


26/01/2015                         20:00


Helio de Freitas, de Dourados

 Estão abertas de hoje, dia 26, até 25 de fevereiro deste ano, as inscrições para o processo seletivo do curso de licenciatura intercultural indígena “Teko Arandu”, da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). 

Conforme a assessoria da instituição, serão disponibilizadas 70 vagas para índios das etnias guarani e kaiowá, que tenham certificado de conclusão do ensino médio ou documento equivalente. A inscrição é gratuita. 

Os documentos necessários para inscrição são fotocópia do CPF, ficha de inscrição preenchida e assinada concordando com os termos do edital, documento de identificação e documento que ateste a etnia à qual pertence (no edital há uma declaração como anexo, mas outros documentos que atestem a etnia serão aceitos). 

A documentação deve ser entregue nos locais que constam no edital de abertura e a ficha de inscrição pode ser retirada em um desses locais ou acessada via internet, pelo link http://cs.ufgd.edu.br/vestibular/pslin2015

A UFGD orienta os candidatos a lerem atentamente o edital, para se informarem sobre endereços dos locais de inscrição, cronograma, conteúdo das provas e todos os detalhes que regem o processo seletivo. 


As provas serão nos dias 14 e 15 de março, em Dourados e Amambai. 

O curso de licenciatura intercultural indígena tem como objetivo formar professores que atuem de forma diferenciada na educação escolar indígena, valorizando o conhecimento acadêmico e o tradicional, aquele herdado da própria cultura guarani-kaiowá, transmitido pelas lideranças dentro das comunidades. 

Estudantes índias que concluíram licenciatura da UFGD; inscrições para curso deste ano estão abertas (Foto: Divulgação/UFGD)
Estudantes índias que concluíram licenciatura da UFGD; inscrições para curso deste ano estão abertas (Foto: Divulgação/UFGD)
A duração mínima da graduação é de quatro anos e meio e sua metodologia é baseada na pedagogia de alternância. Ou seja, os acadêmicos têm aulas na UFGD, no “tempo universidade”, e em sua própria aldeia, no “tempo comunidade”. Durante o curso os estudantes desenvolvem atividades de ensino, pesquisa e extensão. 

O profissional sai da universidade habilitado em uma das áreas oferecidas pelo curso – ciências sociais, linguagens, matemática e ciências da natureza

Nenhum comentário:

Postar um comentário