terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

Índios invadem sede da Sesai em MT para cobrar melhorias na Saúde

03/02/2015             14:30

Do G1 MT 

Cacique informou que indígenas querem exoneração da coordenadora, Índios de 2 etnias bloqueiam há 4 dias trecho da BR-163 como protesto. 


 
Indígenas das etnias Terena e Maben-Groke, fazem  manifestação na rodovia. (Foto: Bruno Maia/PRF-MT)

 Mais de 30 índios de diversas etnias estão na unidade de Saúde Indígena da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), em Colíder, distante 648 km de Cuiabá, como forma de protesto por melhorias nas aldeias da região. 

Segundo o cacique Raoni Metuktire, líder da etnia caiapó, os indígenas alegam que falta estrutura na área da saúde e também pedem a exoneração da coordenadora da unidade de Colíder, Sanna Rochelle Aparecida Silva Sarmento, que está à frente da instituição há 6 meses. 

Em nota, a assessoria de imprensa da Secretaria Especial de Saúde Indígena informou que a instituição está aberta ao diálogo com as lideranças indígenas e tem intensificado as ações de atenção à saúde nas aldeias pelo programa Mais Médicos. 

Também informou que a coordenadora da Sesai de Colíder não está no local e que estaria sendo ameaçada. Outro grupo indígena também mantém o bloqueio de trecho da BR-163, em Itaúba, a 599 km de Cuiabá, desde a última sexta-feira (30), pela mesma pauta de reivindicação. Cerca de 50 índios das etnias Terena e Maben-Groke colocaram galhos de árvores, pneus e até pedras para impedir a passagem de veículos pelo local. 

Eles também usam arcos e flechas. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), não há previsão de liberação da pista e o congestionamento na região é intenso. Conforme a Secretaria Especial de Saúde Indígena, o Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Caiapó/Mato Grosso recebeu quatro médicos pelo programa Mais Médicos, para reforçar as equipes multidisciplinares formadas por enfermeiros, dentistas, técnicos de enfermagem, agentes indígenas de saúde e agentes indígenas de saneamento, entre outros. 

“Cabe destacar, ainda, que o Dsei recebeu, no último semestre, três remessas de medicamentos, necessário para atendimento à saúde indígena da região”, consta trecho da nota. 

Ainda segundo a assessoria do Sesai, as conversações com os grupos indígenas são mantidas por telefone e não há previsão de alguma reunião in loco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário