quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Índios ocupam fazenda para ter acesso à escola e PF investiga tiroteio

Imprimir esta página

13/02/2014            19:08

Aliny Mary Dias

 
Área foi ocupada na noite de ontem (12) em Iguatemi, região Sul do Estado (Foto: Divulgação/Cimi)
Indígenas guarani-kaiowá da região de Iguatemi, a 466 quilômetros da Capital, ocupam desde a noite de ontem (12) a sede da fazenda Cambará.
 
Segundo a Funai (Fundação Nacional do Índio), os índios reivindicam acesso à educação e durante o ocupação houve tiroteio. Durante a ocupação, os funcionários da fazenda teriam se "desentendido" com os indígenas e houve tiros, cápsulas foram recolhidas pela Polícia Federal. A informação confirmada pela Funai é que não há registro de feridos.
 
Equipes da PF estiveram na região por volta das 22 horas de ontem, e orientaram os proprietários que estavam na sede para evitar atos violentos. A situação ficou mais crítica, segundo o coordenador regional da Funai, Silvio Raimundo, porque os índios estão há mais de 2 anos sem estudar.
 
A única escola da região fica na cidade de Iguatemi, mas eles reivindicam uma instituição na aldeia. Segundo o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), a ocupação já reúne 250 indígenas que impedem a entrada na porteira da fazenda. Funcionários da Funai foram para a fazenda nesta quinta-feira e conforme o coordenador do órgão a situação é tranquila.
 
Em toda a região de Iguatemi, Eldorado e Japorã, a população dos guarani-kaiowá chega a 7,5 mil indígenas.
 
O Campo Grande News tentou falar com o proprietário da fazenda, Osmar Bonamiro, mas as ligações não foram atendidas até o fechamento da reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário