segunda-feira, 20 de abril de 2015

Comunidade indígena recebe acesso a água tratada através de programa social


20/04/2015                   08:04


Mariana Rodrigues 

 Neste ano, 160 famílias foram cadastradas para receber acesso ao saneamento básico em Campo Grande pelo Programa Água Solidária. A ação atendeu os bairros Aquarius II, Monte Alegre, Vila Bordon e Santa Mônica, onde se encontra cerca de 60 famílias da comunidade indígena Terena, Tumuné Kalivonó (Futuro da Criança). 

 Diecson Prado, gestor do Programa social da Águas Guariroba, concessionária responsável pelos serviços de água e esgoto na Capital, explicou que a iniciativa promove a instalação de redes de água para atender as habitações, instala medidores e cadastra todas as famílias beneficiadas na Tarifa Social, garantindo desconto de 50% na conta. 

Foram implantados 260 metros de rede para atender a comunidade. (Foto: Divulgação)




“Quando levamos o programa para lugares que não tinham serviços básicos, estamos promovendo a inclusão destas pessoas. 
Levamos mais qualidade de vida com condições para ter saneamento”, afirma Diecson. 

Para atender as famílias do loteamento indígena do bairro Santa Mônica, foram implantados 260 metros de rede, que garantem água tratada para os moradores 24 horas por dia. 

 Para o líder da comunidade, Romualdo Lopes Mamede, diz querer buscar as conquistas de forma honesta, exercendo seus direitos “Quando nós buscamos cidadania, queremos exercer os nossos direitos e ter uma moradia com condições de vida, com água tratada e pagando os tributos. 

É assim que queremos buscar nossas conquistas aqui”, afirma. O programa atende desempregados, pessoas com doenças crônicas e famílias numerosas com renda inferior a um salário mínimo. Mãe de três filhos, a indígena Lucilene Sabino da Silva, acredita que ter água tratada em casa é uma segurança para ela e para as crianças. 

“Tudo muda quando a gente começa a receber água em casa. É uma segurança para nós e a certeza de mais saúde para as crianças”, comenta Lucilene. Segundo a concessionária, nas áreas atendidas as ligações clandestinas são regularizadas, é feito um acompanhamento da situação dos moradores, com orientações para o consumo consciente e até reparo de vazamentos internos.

Durante a ação, uma equipe é levada para a região atendida, recebe os moradores, realizando o cadastramento e, caso seja necessário, negocia débitos da forma que melhor se adequar ao cliente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário