terça-feira, 23 de julho de 2013

Força Nacional vai atuar por mais 30 dias para evitar conflitos em Sidrolândia

Imprimir esta página

23/07/2013            20:00

Aline dos Santos

O Ministério da Justiça prorrogou por mais 30 dias a permanência da Força Nacional em Sidrolândia, que em 30 de maio foi cenário da reintegração de posse da Fazenda Buriti, resultando na morte de um índio terena e no agravamento do conflito agrário em Mato Grosso do Sul. 

A portaria, publicada na edição de hoje do Diário Oficial da União, também prorroga a permanência da força policial em Aquidauana. 

 O grupo de 110 policiais chegou ao Estado a partir do dia 5 de junho. 

Nos diálogos, o compromisso foi de ficar, ao menos, seis meses. No entanto, de forma oficial, a autorização de permanência era de 30 dias e, agora, foi prorrogada por igual período. Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, o objetivo é preservar a ordem pública, a incolumidade das pessoas e do patrimônio, “no sentido de proteger a integridade física de todos os envolvidos em conflitos decorridos de invasões de propriedades rurais”. 

A Força Nacional de Segurança faz monitoramento nas estradas, fazendas e aldeias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário