quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Seminário marca lançamento de mestrado inovador


03/12/2014                     22:25

 UnB - Universidade de Brasilia

Divulgação

Edital do curso profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais será apresentado nesta quinta-feira.


Na  quinta-feira (4) será realizado o seminário Educação Intercultural para a Sustentabilidade, que lançará a segunda edição do Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (MESPT). 

Realizado pela primeira vez em 2011, o MESPT é uma iniciativa inovadora e interdisciplinar ligada ao Centro de Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília (CDS/UnB). Em 2013, formaram-se 23 mestres (incluindo representantes de 13 povos indígenas). 

A exemplo do que propõe o MESPT, que se fundamenta no diálogo entre os saberes técnico-científicos e tradicionais, o seminário desta quinta-feira reunirá lideranças e mestres tradicionais de renome, como Raoni Metuktire e Antonio Bispo dos Santos, professores universitários, representantes de organizações internacionais, entre outros. 

Além de lançar o edital da segunda edição do MESPT, o seminário discutirá temas fundamentais nas mesas-redondas "A Educação Superior Intercultural na América Latina e Caribe" e "Povos indígenas e quilombolas no Brasil e os desafios da sustentabilidade de seus territórios". 

Confira a programação aqui. A primeira mesa contará com a presença de Daniel Mato (Instituto Internacional da UNESCO para Educação Superior em América Latina e Caribe - IESALC), Jack Menke (Universidade Anton Kom, do Suriname), Antônio Carlos de Souza Lima (Laboratório de Pesquisas em Etnicidade, Cultura e Desenvolvimento, Museu Nacional, Universidade Federal do Rio de Janeiro) e Bárbara Oliveira Souza (Instituto Cubano de Pesquisa Cultural Juan Marinelo e Universidade de Brasília). 

Na segunda mesa, estarão presentes Francisco Apurinã (Coordenação das Organizações Indígena da Amazônia Brasileira - COIAB), Lucely Morais Pio (Articulação Pacari de Plantas Medicinais do Cerrado, Rede Cerrado), Rosa Acevedo Marín (Projeto Nova Cartografia Social da Amazônia - PNCSA -, Universidade Federal do Pará - UFPA) e Henyo Barreto Trindade Filho (Instituto Internacional de Educação do Brasil - IEB). 

  O MESTRADO

Com duração de 24 meses e carga horária de 420 horas, o MESPT visa formar profissionais para o desenvolvimento de pesquisas e intervenções sociais, com base no diálogo de saberes e em prol do exercício de direitos, do fortalecimento de processos autogestionários da vida, do território e do meio ambiente, da valorização da sociobiodiversidade e salvaguarda do patrimônio cultural de povos indígenas, quilombolas e demais comunidades tradicionais. 

O público ao qual o curso se destina é de profissionais vinculados a instituições que promovam a sustentabilidade de povos e territórios tradicionais (associações de base comunitária, organizações não governamentais de assessoria, redes de representação e articulação política e/ou órgãos de governo das esferas municipal, estadual ou federal). 

São oferecidas, no total, 30 vagas, sendo 15 destinadas exclusivamente a candidato(a)s autoidentificado(a)s indígenas e quilombolas residentes no país, e 3 a candidato(a)s autoidentificado(a)s como indígenas e afrodescendentes residentes no México ou no Suriname. 

O período de inscrição vai de 4 de dezembro de 2014 a 16 de fevereiro de 2015. Mais informações mespt@unb.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário