sábado, 10 de março de 2012

UMA MAIOR PARTICIPAÇÃO DO INDÍGENA NAS DECISÕES PARTIDÁRIAS

10/03/2012       12:06

ARTIGO

 Por: SANDER BARBOSA PEREIRA

 Os constantes acontecimentos sobre a problemática indígena no estado de Mato Grosso do Sul nos colocam num momento de perplexidade frente a banalidade de como é tratada a questão indígena de uma forma geral. 

Entendemos que a questão das demarcações é ainda o sistema nervoso não só aqui más em todo o Brasil, na raposa serra do sol terra indígena localizada em Roraima o processo levou três décadas para se ter uma sentença favorável aos povos indígenas e o processo foi doloroso para ambas as partes, alem dos embates nas áreas de conflitos, houve calorosos debates no supremo tribunal federal – STF. 

E a conclusão que se chegou foi acelerar os processos que lá estavam tramitando por longos períodos, aqui no Mato Grosso do Sul há processos que já estão beirando os 40 anos a espera de um parecer favorável e ao contrário da raposa serra do sol aqui os embates são de forma violenta com grandes perdas de vidas de lideranças que conduzem seus grupos na busca de seus territórios tradicionais. 

Somos sabedores que alem da problemática das demarcações há outras lutas que estão sendo travadas fortementes em setores como: Educação, saúde, inserção social e no campo da política partidária. Dentro da política partidária defendemos a tese de uma maior participação do cidadão indígena nas questões e decisões que envolva o componente e a temática indígena em todas às instâncias partidárias. 

Com melhores condições para fazer o debate de suas problemáticas junto à sociedade envolvente temos a certeza de alcançarmos os objetivos tão almejados numa sociedade que caminha lentamente quando se trata de reconhecer os direitos dos povos indígenas na sua essência. 

Defendemos ainda um melhor fortalecimento das lideranças indígenas no interior do estado de Mato Grosso do Sul, incentivos às filiações partidárias, visitas dos dirigentes locais às aldeias indígenas como forma de valorização da cultura indígena, assim como sua importância para as definições políticas no cenário eleitoral do estado.

SANDER BARBOSA PEREIRA, Licenciado e Bacharel em Letras pela UNIDERP-ANHANGUERA/MS, Membro do Conselho Municipal dos Direitos e Defesa dos Povos Indígenas de Campo Grande, Ativista indígena, Coordenador do setorial Indígena/DRPT/MS, Presidente da ONG indígena Centro Social de Cultura Nativa/MS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário