quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Ainda sem acordo, índios e produtores de MS terão nova reunião

Imprimir esta página

28/08/2013            22:17

Do G1 MS


Encontro para discutir conflito agrário ocorreu na terça em Brasília. Pontos que eram considerados definidos recuaram, diz indígena. 


Índios e produtores rurais terão mais uma reunião, dentro de duas semanas, ainda sem local definido, para tentar encontrar solução ao conflito por terras em Mato Grosso do Sul. O encontro entre as partes, representantes do governo federal e estadual, em Brasília, terminou sem acordo, segundo o advogado que representa os indígenas, Luiz Henrique Eloy. 

De acordo com ele, não houve avanços para resolver o impasse no campo, mas os indígenas e fazendeiros mantêm o diálogo. A reunião ocorreu na tarde de terça-feira (27) na sede do Ministério da Justiça. 

A expectativa é que, na próxima reunião, a União apresente uma proposta concreta para dar fim ao conflito. No último encontro, realizado no dia 13 de agosto em Campo Grande, o governo federal reforçou a proposta de utilizar Títulos da Dívida Agrária (TDAs) para comprar terras do governo do estado, que, por meio destes títulos, indenizaria produtores rurais em áreas que seriam devolvidas às comunidades indígenas. 

Segundo Eloy, com relação a fazenda Buriti e a utilização dos TDAs, pontos que pareciam definidos, as negociações recuaram, pois, de acordo com o advogado, a secretaria estadual de Desenvolvimento Agrário, da Produção, da Indústria, do Comércio e do Turismo (Seprotur), informou na reunião que o estado não tem terras suficientes par vender a União. 

De acordo com a assessoria de imprensa da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), sem a viabilização jurídica de compra da propriedade com repasses do TDA, as proposições para o próximo encontro serão o levantamento das terras públicas da União no estado e a formação de um grupo de monitoramento para acompanhar a agenda e as deliberações da futura reunião. 

Ainda conforme a federação ficou definido que será retomada a avaliação da região da fazenda Buriti e demais áreas requisitadas pelos terena e guarany-kaiowá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário