sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Na frente de igreja na Capital, 250 cruzes lembram assassinatos de indígenas em MS

IMPRIMIR ESTA PAGINA

16/12/2011 - 12:10

 Foto: Deurico/Capital News


No Estado considerado mais perigoso para os índios, segundo entidades não governamentais, um manifesto lembra os assassinatos de indígenas na frente de uma igreja no centro de Campo Grande. 

A Catedral Nossa Senhora do Abadia – Paróquia Santo Antônio recebeu 250 cruzes, em alusão ao número de índios mortos no Estado entre 2003 e 2010, segundo dados do Conselho Missionário Indigenista (Cimi).

Embora muitas dessas mortes sejam resultado de crimes comuns, como brigas entre os próprios moradores de uma comunidade, a maioria, conforme o Cimi, estaria ligada à luta pela terra que índios e fazendeiros travam há décadas. 

As cruzes estão no local desde a manhã de quarta-feira, dia 14. No momento da colocação das cruzes foi realizado um ato cívico religioso ecumênico com lideranças indígenas, Comissão de Justiça e Paz da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e Comitê Nacional em Defesa dos Povos Indígenas - Condepi da OAB/MS. Representantes do Candomblé também participaram do ato ecumênico. 

A questão indígena voltou à tona com força em MS após ataque de pistoleiros ao acampamento Guaiviry, em Aral Moreira, no dia 18 de novembro. No ataque, o cacique Nísio Gomes, 59 anos, desapareceu. A Polícia Federal investiga o caso. Clique na imagem para acessar a galeria .. 

Foto: Deurico/Capital News Fonte: 


Valdelice Bonifácio - Capital News (www.capitalnews.com.br)

Nenhum comentário:

Postar um comentário